Montanhas Azuis

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Montanhas Azuis

Mensagem por Mestre do Jogo em Dom Set 16, 2012 3:33 pm


A cadeia de montanhas que se estende a norte do Lago Garibaldi em cuja superfície se reflete sua imagem nas águas límpidas e cristalinas são conhecidas como as Montanhas Azuis, nome atribuído pela coloração azulada que seus picos nevados adquirem durante os dias de tempo bom, desenhando uma das paisagens mais selvagens e belas de todo o Canadá.

As montanhas, apesar de não serem as mais altas do país, atraem muitos alpinistas que desejam vencer seus paredões íngremes de rocha viva e desfrutar da bela vista que só estas montanhas podem propiciar. Existem excursões onde os interessados podem sentir o gostinho da escalada, monitorados com toda a segurança por guias experientes que levam-nos montanha acima até alguns chalés construídos estrategicamente onde podem descansar para repor suas energias desfrutando de boa comida e bebida.

A proximidade com a Reserva Indígena dos Pés-Pretos faz com que as Montanhas Azuis seja palco de muitas histórias e lendas. Nas histórias dos índios estas montanhas são conhecidas por serem o território de onde “Aquele que Caça em Noites sem Lua” geralmente sai para caçar. Ao longo dos anos relatos de alpinistas que alegaram ter avistado uma criatura humanóide vagando pelas encostas cobertas de neve das Montanhas Azuis vem se acumulando, mas até hoje nada de concreto pôde ser provado, e o mito continua a ser exatamente isto: um mito... menos para os Pés-Pretos e para aqueles que o avistaram.

Alguns exploradores interessados no mistério do Pé Grandem vindos principalmente dos Estados Unidos, encontraram algumas pegadas anormalmente grandes feitas na neve, o que gerou uma grande comoção no meio criptozoologista, trazendo um fluxo considerável de “estudiosos” ávidos por encontrar mais pistas sobre este ser lendário. Como sempre, a maioria não encontrou nada do que procuravam, mas alguns mais afoitos decidiram fixar residência nos sopés das Montanhas Azuis, esperançosos de algum dia poderem encontrar mais pistas, ou quem sabe até mesmo de terem algum encontro com esta criatura.

A Polícia Montada tenta desencorajar tais intenções da maneira que pode, as Montanhas Azuis guardam muitos perigos e encontros com os animais selvagens acontecem com elevada freqüência. O número de mortes atribuído ao ataque destes animais sobe a cada ano que passa, apesar de algumas delas se darem de modo muito suspeito. Já foram encontrados cadáveres totalmente sem sangue, e também algumas pessoas já foram resgatadas enquanto vagavam a esmo pelas Montanhas, alheios à realidade e com isquemia.

O fato é que as Montanhas Azuis guardam segredos terríveis por trás de sua beleza majestosa. Segredos que muitos os Pés-Pretos conhecem e guarda a sete chaves. Para o bem da coletividade é melhor que certos mistérios continuem sem respostas, a ignorância pode ser uma bênção.

_________________
Bem-vindos aos Jogos!!!
avatar
Mestre do Jogo
Administrador

Masculino Câncer Macaco
Número de Mensagens : 230
Data de nascimento : 28/06/1980
Data de inscrição : 07/06/2012
Idade : 37
Localização : À procura de jogadores
Emprego/lazer : Mestre de Jogos
Humor : O melhor possível

RPG
Geração: Antediluviano Antediluviano
Clã: Administradores Administradores

Ver perfil do usuário http://vampiro.forumeiro.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Jamie Sinclair em Dom Jan 19, 2014 3:10 am




Aquele dia estava sendo perfeito, tirando os olhares desaprovadores dos meninos do time de futebol amigos de Bruno que agora detestavam Jamie por ter sido o motivo de Bruno ter sido suspendido do time, e das garotas que cobiçavam Bruno. Aquelas que se diziam serem suas amigas haviam se afastado como se ela fosse o mal em pessoa por ter feito tudo o que fez, e por ter defendido Erick. Mas ela não se importava, estava farta de ter gente falsa e fútil ao seu lado, apenas uma pessoa ela queria ao seu lado, e isso ela sabia que teria e nada iria afasta-lo, pois ela jamais daria motivos para que isso acontecesse.

Jamie passou o dia no trabalho sorrindo sozinha enquanto Leon ria de sua cara dizendo quão patética ela parecia com aquele sorriso infindável no rosto. – Pode me chamar de patética o quanto quiser, aposto que se estivesse tendo um dia tão bom quanto o meu, estaria com o mesmo sorriso patético no rosto. Disse ela em um tom brincalhão mostrando a língua para Leon.

– E qual foi a maldade que você fez hoje que te deixou feliz, posso saber?
- Nada demais, apenas fiz com que meu ex-namorado fosse expulso do time de futebol e quase suspenso da faculdade.

- Uuuau...me lembre de morrer seu amigo. Respondeu ele brincando. – Agora deixa esse seu super ego de lado e prepara um expresso que o cliente está esperando.

Passou o resto da tarde desejando pelo fim do seu dia de trabalho, mas estando proibida de ficar zanzando pela rua até tarde pois estava de castigo, não deixaria de dar uma escapadinha para passar na casa de Erick lhe dar as boas notícias, não que essa fosse sua única intenção, podia dar as boas notícias pelo telefone, isso se ele atendesse o celular, o fato era que ela queria vê-lo e ponto final. Mesmo que não tivesse nada a dizer, não precisava de desculpas a não ser a saudade.  Ao sair do trabalho apressou-se e quase caiu ao correr em direção ao seu carro.

– Calma Jamie, tente chegar lá viva. Disse ela sussurrando pra sim mesma, apressando o passo numa caminhada rápida e desengonçada até o carro se dirigindo para a casa de Erick. Ao chegar lá Jamie desce apressadamente do carro e corre até a porta onde é atendida por Fernando, o mordomo da família.

-Senhorita Sinclair, o Senhor Erick antes de sair no caso de a Senhorita aparecer, pediu para avisar que você saberia onde encontra-lo.

Jamie dá um sorriso de canto de boca e agradece Fernando voltando para o carro e se dirige para as Montanhas Azuis. Havia um local nas montanhas onde Jamie e Erick costumavam ir para se afastar de tudo e observar as estrelas. Faziam isso com mais frequência depois dos acontecimentos com ambos, sentiam necessidade de terem um mundinho só deles e nada melhor que as montanhas, para ouvir o assovio dos ventos entre as altas árvores e o barulho das águas batendo nas encostas da montanha. Nem mesmo as noites gélidas os afastavam das montanhas.

Estacionou o carro próximo a estreita trilha e caminhou até o local onde saberia que encontraria o amigo. Assim que atravessou o caminho entre as árvores pode ver Erick sentado ao longe e abriu um sorriso. Por mais que tentasse surpreende-lo, o barulho de seus passos pelas folhas húmidas lhe entregou assim que se aproximou, mas Erick não se moveu. Jamie então se agacha atrás de Erick lhe dando um abraço apertado e descansando um beijo em sua bochecha. – Olá! Cumprimenta ela com um sorriso no rosto. – Trago boas notícias. No que está pensando. Pergunta ela saindo do abraço deitando ao lado de Erick, puxando o ar para os pulmões e soltando vagarosamente. Como ela adorava aquele lugar.


Última edição por Jamie Sinclair em Seg Jan 20, 2014 12:02 am, editado 1 vez(es)
avatar
Jamie Sinclair
Humano

Feminino Câncer Porco
Número de Mensagens : 8
Data de nascimento : 16/07/1995
Data de inscrição : 18/01/2014
Idade : 22
Localização : Perdida...
Emprego/lazer : Ali ó...
Humor : muito bem obrigada =)

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Morto(a) Morto(a)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Erick Horkheimer em Dom Jan 19, 2014 11:41 pm


- Fernando, diga para Jamie... Erick coloca a mochila nas costas. – Que eu saí, mas ela sabe onde me encontrar. O mordomo da um sorriso. – Tudo bem senhor Erick, aviso a sua mãe? Erick pega as chaves e coloca no bolso da calça e coloca os óculos escuros. – Não, apenas diga que estou com a Jamie.
 
Fernando se despede dele com um abraço, não demorou muito Erick já estava nas Montanhas Azuis, ele conversa com um proprietário de um dos chalés que fica próximo ao lago. - Gostaria de alugar um dos seus chalés. Erick ficou olhando para os chalés e volta o olhar para o ancião que estava sentando na cadeira de balanço. – Quando tempo, o jovem vai ficar? O Erick respira fundo e olha para a paisagem. – 3 meses. Ele disse com uma voz triste e um olhar vazio.
 
- $4500 dólares canadenses.  Disse o ancião balançando a cadeira.
 
Qual é o seu melhor chalé. Disse Erick colocando a mochila no chão.
 
– E o número nove, mais ele é afastado dos demais, muitos velhos como... O velho da uma pausa para tossir e colocando um lenço cobrindo boca. –...eu prefere esse chalé.
 
- Vou fica com ele. Quando o Erick ia pagar o ancião, ele da uma risada.
 
– Esse chalé é $5000 dólares canadenses. Erick olha para o ancião e da uma risada debochada. – Tudo bem, pegue. Diz ele entregando o dinheiro para o ancião que pega o dinheiro com certa dificuldade.  Ele se despede do ancião e vai andando ate o chalé passando entre as pessoas que estavam ali em excursão e os alpinistas que conversavam sobre sua última subida na montanha. 
 
Assim que entra no chalé e tranca a porta, ele joga a mochila na cama e senta por algum tempo no sofá levando suas mãos no rosto enquanto lágrimas começam a escorrer em seu rosto se lembrando das coisas que seu pai havia dito, das humilhações, punições dos anciões e o ódio que aos poucos consumia a sua alma. 
 
Ele entrou no banheiro lavou o seu rosto sem nem se quer olhar para o espelho, enxugou seu rosto e decidiu sair e dar uma caminhada. Caminhou até o ponto onde Jamie e ele  costumavam se encontrar e ficou esperando por ela perto da árvores olhando a paisagem e deixou o pensamento fluir ouvindo o barulho dos grilos e tantos outros insetos criando uma sinfonia.            
 
Ele ouviu ela se aproximar e deu um sorriso mais não se moveu. Ela o abraçou e deu um beijo em sua bochecha e ele retribuiu dando um beijo em sua testa. 
 
- Oi Jamie. Deu um sorriso e pegou a mão dela. – Qual é a boa noticia? Ele ficou olhando nos olhos dela esperando que ela lhe contasse a boa notícia. Depois desviou o olhar para a sua mão. – Eu não tenho tão boas notícias. Disse rindo de si mesmo. E voltou a olhar nos olhos dela.  


avatar
Erick Horkheimer
Humano

Masculino Câncer Búfalo
Número de Mensagens : 18
Data de nascimento : 19/07/1997
Data de inscrição : 19/01/2014
Idade : 20
Localização : .
Emprego/lazer : .
Humor : .

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Humanos Humanos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Jamie Sinclair em Seg Jan 20, 2014 1:03 am




Como seria simples se pudéssemos ajeitar as coisas ao nosso redor da forma que gostaríamos que elas fossem. Tudo em seu devido lugar, sem complicações ou tormentas pelas quais somos constantemente  obrigados a enfrentar, sempre tentando provar que somos mais forte que ela usando de nossos atributos dia após dia. Infelizmente é apenas um desejo tolo dos sonhadores. Jamie podia se considerar uma delas, sempre desejando que as coisas fossem diferentes. Ela contemplou as estrelas por mais alguns segundos até que sentiu Erick pegar sua mão. Se sentou de frente a ele para contar as notícias. Sabia que havia algo errado, podia ver em seus olhos assim como podia sentir a tensão do momento, mas preferiu deixar de lado e aliviar a tensão.


Ela então da um sorriso e respira fundo olhando para Erick. – Adivinha!? Ela não esperou que ele nem tentasse. - Bruno está oficialmente fora do time de futebol da faculdade, e agora vem a melhor parte, se ainda estiver á procura de um trabalho, eu conversei com a gerente hoje e ela disse que você pode passar lá amanhã depois do almoço para uma entrevista, o que acha? Trago boas notícias ou não? Ela mantinha o sorriso com uma expressão de excitação que chegava a ser engraçadas.


Não era sempre que ela estava de bom humor, seus dias de baixo astral eram extremamente raros, especialmente na presença de Erick. Talvez por ela saber como era a convivência dele entre as paredes daquela casa, mesmo quando ela estava lá os parentes dele estavam presentes era difícil de tirar um sorriso dele, mas nada era impossível para Jamie, essa era uma palavra que não existia em seu dicionário, ou pelo menos não até algum tempo atrás, mas era relevante, a maior parte do tempo ela tentava esquecer que essa palavra existia, a palavra esperança sempre antecedia impossível .


Ela observa enquanto ele baixa o olhar, então vira a cabeça de lado e abaixa um pouco para buscar os olhos de Erick. – Meus olhos estão aqui em cima. Ela sorri enquanto ele volta seu olhar para os dela.


– Eu não tenho tão boas notícias.


Jamie o encara fazendo uma careta. – O que foi dessa vez, tiraram seu anime favorito do ar? Brincou ela,  mesmo sabendo que o que vinha definitivamente não era coisa boa. – Ok, eu sei que não é isso que está te trazendo essa tristeza que você carrega, então me diz, o que aconteceu? Tem algo a ver com o que aconteceu na festa na sua casa?


Mesmo sem ele ter dito nada sobre aquela noite na festa, o estado em que Jamie havia encontrado Erick lhe dizia muito mais que palavras conseguiriam, ela jamais tinha o visto cheio de ira daquela maneira, foi assustador até mesmo para ela. Ela leva uma de suas mão até o rosto de Erick lhe fazendo um carinho.
 
– Me diz, o que aconteceu. Ela continua acariciando o rosto de Erick esperando que ele lhe de uma resposta.
avatar
Jamie Sinclair
Humano

Feminino Câncer Porco
Número de Mensagens : 8
Data de nascimento : 16/07/1995
Data de inscrição : 18/01/2014
Idade : 22
Localização : Perdida...
Emprego/lazer : Ali ó...
Humor : muito bem obrigada =)

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Morto(a) Morto(a)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Erick Horkheimer em Sab Jan 25, 2014 12:11 am

Erick viaja em seus pensamentos, na mais repleta solidão do seu espírito conturbado. O espírito gritava com ira, beije-a, mostre o seu amor que é grande e irá iluminar o seu espírito e desprende-lo da armadilha da alma que é a solidão.
 
O corpo demonstra isso com os calafrios que arrepiam os pelos dos braços. - Adivinha!? Ele continuou a olhar para baixo, segurando o máximo possível de sua dor. -  Bruno está oficialmente fora do time de futebol da faculdade, e agora vem a melhor parte, se ainda estiver á procura de um trabalho, eu conversei com a gerente hoje e ela disse que você pode passar lá amanhã depois do almoço para fazer uma entrevista, o que acha? Trago boas notícias ou não?
 
Erick da um sorriso em seus pensamentos. “Pelo menos mandei o Bruno para o hospital e tirei dele aquilo que ele mais gostava.” Ele olhar para Jamie e da um sorriso. – Sim, você trás boas noticia, que pena que foi no momento errado. Disse fechando a mão direta.
 
- Aconteceu que, os anciões da família, decidiram me exilar. Disse ele com um tom de voz sério e parou para admira-la e ver a sua reação. – Temporariamente. Minha mãe não pode saber, e muito menos o meu pai. Ele da uma risada estranha quando disse “meu pai”.
 
- Como não tenho amigos, além de você... Ele da uma risada e passa a mão no cabelo dela o colocando atrás da orelha. – ...só você irá saber, eu aluguei um chalé aqui perto por três meses, e tenho um bom dinheiro no banco que pode me manter por muito tempo no conforto. A sua expressão era suave e a sua voz séria.
 
Ele tira a mão dela bem suave do seu rosto. – Agora vem a pior notícia. Ele suspira não muito aliviado com a situação, queria ser um telepata para saber a reação dela depois da noticia.  – Pelo os primeiros dias, gostaria de fica sozinho. Ele fica olhando para ela com uma cara que “isso não me agrada nenhum pouco, mais é necessário”  
 
Suas emoções e pensamentos começaram a guerrilhar, por um lado o amor que ele sentia por ela, e por outro lado a solidão que invadia a porta da sua alma e começava a apagar todas as velas com apenas um sopro. Seu coração acelerado e o desejo de abraça-la, beija-la  começaram a ser quebrados, tinha algo morrendo dentro de Erick algo que nunca poderá ser curado a não ser que Jamie naquela momento tomasse uma atitude. A expressão de Erick começou a fica vazias o seu olhar começou a ficar sem cor.
 
O calor da sua pele começou a esvair, seus sonhos começaram a decair como meteoros no seu mundo, em seu pequeno plano de paraíso. – E sobre o trabalho, obrigado por tentar me ajudar, mais ainda vou pensar. Ele pegou a mão dela e colocou no seu peito perto do coração. – Ainda pode senti-lo? Ele disse com uma voz triste. – Ele um dia vai parar de bater, e no lugar vai ser um coração sombrio. Ele da uma pausa e respira fundo. – Me promete que não me deixará esquecer o significado do amor?


avatar
Erick Horkheimer
Humano

Masculino Câncer Búfalo
Número de Mensagens : 18
Data de nascimento : 19/07/1997
Data de inscrição : 19/01/2014
Idade : 20
Localização : .
Emprego/lazer : .
Humor : .

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Humanos Humanos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Jamie Sinclair em Dom Jan 26, 2014 1:49 am




Aqueles eram os momentos que Jamie menos apreciava, os momentos que faziam seu coração ficar apertado dentro do peito de ter que olhar nos olhos de Erick e conseguir ver e sentir por ela mesma toda a dor, incerteza, frustração e uma pitada de ódio que seus olhos  carregavam, pois ela carregava consigo alguns dos mesmos sentimentos, mas não os deixava transparecer quando estava com Erick. Não, quando estava com ele seus sentimentos eram outros, ela tinha um instinto protetor, preferia distanciar dele tudo o que lhe magoava que fazia mal, transformando seu mundo em um lugar confortável, onde ele não precisasse manter as aparências, se sentir como uma rocha o tempo todo, ela entendia o porquê muito bem dessa mudança de comportamento, mas preferia quando estavam apenas os dois, naquele mundinho aconchegante onde eles poderiam ser e fazer o que eles quisessem, exceto libertar um sentimento mais profundo, Jamie carregava esse sentimento consigo o tempo todo, mas sabia que uma vez que as palavras saíssem de sua boca, não teria mais volta, ela teria que arcar com as consequências seja lá quais fossem, boas ou ruins, mas ela não sabia se estava preparada pra descobrir quais das consequências enfrentaria pela sua atitude.
Ela respirou fundo olhando para Erick enquanto ele com uma certa hesitação e ocultando partes da nada boa notícia que ele tinha pra ela, mas curiosa como ela era, de certo suas perguntas de “por que” “como” e “quando” não o deixariam escapar de explicações. Mas deixou que ele continuasse.


- Como não tenho amigos, além de você...só você irá saber, eu aluguei um chalé aqui perto por três meses, e tenho um bom dinheiro no banco que pode me manter por muito tempo no conforto. Ela sente os dedos de Erick colocando seu cabelo atrás de sua orelha e inclina seu rosto levemente contra a mão de Erick, como um gatinho pedindo carinho.


Agora vem a pior notícia.

Seu momento de ascensão ás nuvens se transformou em um momento de queda livre, que raios de notícia podia ser pior? Infelizmente ela conseguiu encontrar diversas em sua mente. Ela então ficou séria  ainda com todas as possibilidades de más notícias girando em sua mente, ela não disse nada apenas permaneceu imóvel fitando Erick esperando ele dizer de uma vez e acabar com sua agonia ou talvez piorar.


– Pelos primeiros dias, gostaria de ficar sozinho.


A notícia que chegou aos seus ouvidos não era tão ruim quanto as que corriam em sua mente, mas ainda sim ela não teve reação, nem mesmo o “-O que?” que estava entalado em sua garganta  ela conseguiu cuspir, as palavras continuaram ali, a sufocando. Ela nunca pensou que fosse ouvir aquelas palavras, eles sempre estiveram juntos o tempo todo, o que havia mudado? Apesar de estar inerte e completamente sem chão, involuntariamente Jamie começa a enrolar o cabelo com os dedos, coisa que fazia sempre que estava nervosa, impaciente ou pensativa, no momento podia se dizer que era uma combinação dos três.


De certo estava estampado em seu rosto de que ela nada diria, portanto Erick continuou, mas a mente de Jamie estava em estado de choque e somente capturava fragmentos  do que ele dizia, até sentir ele pegar sua mão e colocar contra o peito dele, tirando a do transe.


Ainda pode senti-lo? Ela balançou a cabeça positivamente e podia sentir que carregava uma careta em sua expressão.  - Ele um dia vai parar de bater, e no lugar vai ser um coração sombrio. Me promete que não me deixará esquecer o significado do amor?


Naquele momento desistiu de tentar entender qualquer coisa, sua mente não apenas tinha dado um nó e sim se tornado um emaranhado de pensamentos confusos quase impossíveis de serem desatados, pelo menos naquele momento. Ela já tinha se calado por muito tempo, mas o que ela falaria? Por onde começar? - Por Zeus!! Tenha piedade dessa sua filha e jogue um raio de sabedoria sobre essa cabeçinha oca e faça com que palavras saiam de minha boca. Pensou ela . Respirou  fundo olhando para Erick ainda com a mão no peito do amigo.


- Não, você está errado, ele pode parar de bater, mas será quando você estiver bem velhinho e gagá. Brincou ela por um instante e concluiu. – Mas ele nunca será substituído por algo sombrio, não enquanto você me permitir estar aqui. Disse ela espalmando suavemente o peito de Erick indicando o coração. E as palavras a engasgavam mais uma vez, embolavam em sua garganta gritando para que as deixasse sair,  mas Jamie as engoliu quebrando aquele breve silêncio.


Ela retraiu as mãos entrelaçando seus dedos  colocando as mãos sobre seu colo. Ela olhava para as próprias mãos pensando e ponderando as palavras para o que diria em seguida.


- Sobre a sua decisão de ficar sozinho... – ela da uma pausa ainda olhando para as mãos, respira fundo  levantando seu olhar para encontrar com os de Erick com um sorriso meio triste estampado em seu rosto. - ... se você acha que precisa desse tempo para pensar ou seja lá o que for, eu vou respeitar  o seu pedido, mas se precisar de mim você sabe bem onde e como me encontrar.  Só me faz um favor, não demora muito para se encontrar e voltar pra mim. Eu não gosto da solidão, ela não é tão divertida quanto você. Ela sorriu escondendo a dor que sentia por dentro.


- Está ficando tarde, eu tenho que ir, afinal ainda estou proibida de ficar rodando pelas ruas até essa hora. – Ela olha para ele respirando fundo novamente, ela não queria ir, não queria deixa-lo. Ela se aproximou de Erick e segurou seu rosto suavemente com ambas as mãos com os olhos fixos nos dele. Alguns segundos de silêncio e uma careta de Jamie. – Mantenha seu celular carregado no caso de emergência, afinal você está nas montanhas, qualquer coisa pode acontecer. Nããããoooo, não era o que Jamie queria ter dito, mas foi o que saiu no momento, algo extremamente estúpido, mas que de alguma forma fazia sentido. O silêncio estava suspenso mais uma vez e Jamie mantinha seu olhar fixo, tentando não ser traída por seus olhos. Ela nem parecia respirar, apenas tentava guardar aquela imagem em sua mente.  Ela deixa o ar escapar e retrai suas mãos do rosto do amigo.


- Eu...realmente tenho q....Me promete que vai ligar se algo estiver errado, se precisar de ajuda, se acontecer alguma coisa? Por favor? – Com um olhar entristecido ela o encara esperando ele responder e se levanta em seguida. – Eu realmente preciso ir, fica bem e se cuida.  
avatar
Jamie Sinclair
Humano

Feminino Câncer Porco
Número de Mensagens : 8
Data de nascimento : 16/07/1995
Data de inscrição : 18/01/2014
Idade : 22
Localização : Perdida...
Emprego/lazer : Ali ó...
Humor : muito bem obrigada =)

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Morto(a) Morto(a)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Erick Horkheimer em Dom Jan 26, 2014 11:59 pm

Erick fica atento nas palavras triste de Jamie o som de sua voz. - Sobre a sua decisão de ficar sozinho... Ele analisava cada gesto dela com o olhar, os pulmões pesavam em seu peito e o ar sai lentamente de suas narinas. O som dos insetos já não podia ser mais ouvido por Erick ele havia os ignorado concentrando a sua audição apernas na voz entristecida dela.
 
 - Se você acha que precisa desse tempo para pensar ou seja lá o que for, eu vou respeitar  o seu pedido, mas se precisar de mim você sabe bem onde e como me encontrar.  Só me faz um favor, não demora muito para se encontrar e voltar pra mim. Eu não gosto da solidão, ela não é tão divertida quanto você. Ele a viu sorrindo, sabia que aquele sorriso era falso, que escondia um sentimento de dor e tristeza, mas ele  ficou apenas olhando e nada disse, deixou ela falar o que pensava da situação.
 
- Está ficando tarde, eu tenho que ir, afinal ainda estou proibida de ficar rodando pelas ruas até essa hora. Ele ficou parado vendo ela se aproximar, olhar nos olhos dele e sentiu suas mãos em seu rosto.
 
Aquela cena parecia um poema celta de um guerreiro e a sua amada, Erick deu um sorriso e fixou o olha nos olhos dela. - Mantenha seu celular carregado no caso de emergência, afinal você está nas montanhas, qualquer coisa pode acontecer. Ela faz uma careta novamente tentando distrair a sua própria tristeza ele sente a mão dela saindo do seu rosto gélido.
 
- Eu... Realmente tenho q.... Me promete que vai ligar se algo estiver errado, se precisar de ajuda, se acontecer alguma coisa? Por favor?
 
Quando ela se levanta ele a acompanha ficando de pé, olhando e analisando cada movimento e gesto dela ainda em Silencio. - Eu realmente preciso ir, fica bem e se cuida.
 
Ele segura a mão dela e a puxa para perto do seu corpo e ainda com aquele olhar fixo nos olhos dela com uma voz suave e gestos delicados acariciando o seu rosto. – Eu amo você. Ele então da um beijo em sua testa sentindo seus lábios tocar a pele dela. Respira fundo, seu peito parecia está em chamas, podia sentir a ardência de seu interior queimando. – Não se preocupe, eu estou bem. Ele se baixa diante dela colocando o seu joelho direito na terra e o seu pé esquerdo apoiando seu corpo.
 
Ele olha para ela. - Que os spiritus aqui presente me jungem e me fortaleçam. Se a morte me levar em sua barca, a animu nunca será dela, negarei as portas do inferno e do céu por Jamie o meu grande amor. Se eu cair entre inimigos a minha alma imortal estará segura em seu coração, se eu me ferir lutarei até morrer em mundus por ela. Ele da uma pausa ainda olhando para ela e abre um sorriso. - Jamie aceita unir nossas almas para todo o sempre?        
 
Estranhamente os lobos uivaram, o vento soprou mais forte, a força espiritual da floresta dançava e os espíritos cantavam, ele ficou parado olhando para ela com um sorriso brilhante e olhos que antes mortos agora iluminava a vida. O suor gélido escoria pelo o seu rosto sorridente esperando a resposta de Jamie enquanto sua mente se focava também em outra coisa.  

Tenho que volta para mansão sem ser visto, pegar os livros da pesquisas dos meus ancestrais para dar continuidade e finalizar a pesquisa, mais com vou fazer isso? – Talvez Fernando possa me ajuda sem levantar suspeitas e pegar alguns outros livros, depois disso eu vou para a biblioteca, tenho que decifra o diário do meu ancestral, foi a única coisa que peguei antes de sair de casa.” Ele para de pensar em suas preocupações e ambições e volta sua atenção àquele momento e Jamie que estava á sua frente. “Jamie amarei você para sempre, mesmo que o jogo da vida tire você de mim.”

avatar
Erick Horkheimer
Humano

Masculino Câncer Búfalo
Número de Mensagens : 18
Data de nascimento : 19/07/1997
Data de inscrição : 19/01/2014
Idade : 20
Localização : .
Emprego/lazer : .
Humor : .

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Humanos Humanos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Jamie Sinclair em Ter Jan 28, 2014 11:56 am




Erick se mantinha calado enquanto ela falava, o que era totalmente normal considerando que Jamie era uma matraca e ele completamente o oposto, isso nunca incomodou ela em nenhum momento, exceto aquele. Queria que ele dissesse algo, mudasse de ideia e pedisse que ela ficasse ou que ele  veria ela no dia seguinte, que ligaria...mas quando ela se levantou para ir embora e deu as costas para ele se afastando, ela fechou os olhos e uma tristeza e um vazio invadiu seu corpo, seu peito quase não conteve a dor, sabia que o veria em breve, mas quando seria breve? Erick era uma caixinha de surpresas, poderia ser por alguns dias como poderiam se tornar meses. “Meses,” só de pensar fez seu corpo todo estremecer, ele não faria isso, não se afastaria por meses. Em questão de segundos seus pensamentos explodiam dentro de sua mente. Foi então que sentir o toque das mãos de Erick, lhe puxando para perto de seu corpo, acariciando seu rosto e mil borboletas invadiram seu estômago ao ouvir as palavras que vieram em seguida.
 
– Eu Amo Você.  Jamie sorri enquanto recebe o beijo depositado em sua testa, e levando seu olhar para encontrar os de Erick. – Então por que está se afastando? Era o que queria dizer, mas segurou as palavras. Ela não sabia ao certo o que estava se passando na mente deles nos últimos dias, mas fosse o que fosse, ela não queria deixa-lo mais confuso e dividido. Aquilo a devorava por dentro, todo aquele sentimento reprimido, era um desafio a cada dia, mas ela nunca se importou, adorava desafios.


Não se preocupe, eu estou bem.


- Sabia que mentir...é ...muito fei....O que você está fazendo: Brincou ela de inicio, mas suas palavras foram espaçadas por não está entendendo muito bem o que Erick estava fazendo quando ficou de joelho em sua frente. Ela primeiro fez uma careta, suspendeu uma das sobrancelhas, e acabou por deixar uma risada escapar pensando que ele fosse fazer qualquer coisa estúpida e totalmente sem noção. De fato, não foi sem noção, mas estúpida em um certo grau.


- Não...não..nananão. Erick não faz isso. Sussurrou ela, mas já era tarde demais, as palavras já estavam no ar e ele estava determinado ir até o fim. Ela se ajoelha á frente dele assim que ele terminou, mas antes de responder ela o encarou por uns instantes em silêncio. Sentiu o vento soprar mais forte e os lobos uivavam, ela sorriu por dentro – Quanta precisão. Não estava pensativa, apenas usando o silêncio como tortura. Ela não se chamaria Jamie Sinclair se não desse seu discurso, ou como muitos dizem, seu sermão. Desfere um leve soquinho no peito de Erick. – Você é louco ou o que? Você tem ideia do que acabou de fazer? Ela da uma pausa e vira os olhos. Era óbvio que ele tinha ideia. – Por que você fez isso? Ela podia não ter tanto conhecimento quanto Erick nesses assuntos, mas já tinha estudado diversas culturas e coisas ocultas e tinha certo conhecimento do que ele havia acabado de fazer e as consequências.


Não podia negar que era extremamente romântico mesmo que se para alguns aquilo parecesse estupidez. Mas para aqueles que tinham conhecimentos da cultural celta entenderia quanto poder e significado aquelas palavras tinham. Apesar de seu exterior mostrar uma certa desaprovação no que ele havia feito, por dentro mie estava transbordando com sentimentos que nem mesmo ela sabia definir. Seu discurso havia sido retórico, afinal ela sabia que ele não iria fazer tal coisa apenas por brincadeira, Ercik levava essas coisas muito a sério pra brincar com palavras daquela maneira, suas ações foram sem dúvida intencionais, ele queria aquilo assim como ela também, portanto ela não o negaria. Se silenciou, respirou fundo segurando o rosto de Erick gentilmente com a palma das mãos, ela se preparou para dizer algo, mas foi traída pelo desejo infindável de sentir seus lábios tocarem os dele. Um beijo macio e delicado, apaixonado  e intenso. Muito mais do que apenas um toque dos lábios foi transferência de energia como se não existisse duas almas, apenas uma.
avatar
Jamie Sinclair
Humano

Feminino Câncer Porco
Número de Mensagens : 8
Data de nascimento : 16/07/1995
Data de inscrição : 18/01/2014
Idade : 22
Localização : Perdida...
Emprego/lazer : Ali ó...
Humor : muito bem obrigada =)

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Morto(a) Morto(a)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Erick Horkheimer em Dom Fev 02, 2014 12:13 pm

Erick ficou em silêncio analisando Jamie e pensando “Ela sabe o que estou fazendo.” Ele da uma pausa em seus pensamentos e da um sorriso de canto da boca. “Porque ela está dizendo não, se seu corpo está dizendo sim?
 
Ele se levanta e encara Jamie, assim que ele se levanta ela diz. - Você é louco ou o que? Você tem ideia do que acabou de fazer? Ele da uma risada.  - Ainda pergunta se sou louco? A reação dela não era o que ele esperava. Sua reação deixou ele pensativo mas ele não comentou sobre isso.  – Sim. Disse ele em resposta.
 
Ele olhava para ela com uma expressão calma.  - Por que você fez isso? Ela pergunta enquanto ele segurava as mãos de Jamie ainda em seu rosto. – Porque eu te amo. Ele da um sorriso simpático e uma piscadela com o olho esquerdo.  - E você, me ama?
 
Ele esperava por uma resposta, mas o beijo dela já dizia tudo e ele retribuir o beijo. Ela coloca a mão direita na nuca dela intensificando o beijo, enquanto sua mão esquerda estava na cintura dela puxando-a junto ao seu corpo. 
 
Depois de um longo beijo ele gentilmente para de beija-la e diz sorrindo.  – Eu te amo. Ele passa a mão no cabelo dela arrumando e colocando o atrás da orelha dela. – Queria pedir um favor a você.  Ele da um beijo de leve nos lábios dela. – Fica hoje aqui comigo? Perguntou ele olhando para ela.
 
Flashback
 
Erick acorda em sua cama assustado e suando frio. Ele pula da cama e vai direto para o banheiro lava o seu rosto quando fecha o seus olhos ele vê alguns flashes de seu pesadelo.
 
Um lobo de olhos dourados correndo por uma floresta, livre e feliz com sua matilha, o lobo velho uiva no pé da montanha, enquanto isso caçadores com o seus rifles se aproximam furtivos do meio da mata. Não demoro muito para que os caçadores matassem quase toda a matilha, apenas o lobo de olhos dourado sobrevive. Ele corre assustado pela a floresta sem saber para que direção ir para se esconder. Um homem surge na escuridão, seu sorriso maligno e o seus olhos brilhavam, então ele pega o pequeno lobo e o abraça.”
 
Erick volta para a cama sentando na beirada e liga a televisão.  – Que pesadelo foi esse? Ele da uma pausa e coloca a mãos em sua cabeça olhando para baixo. - Eu senti  aquele homem olhando para mim através do lobo. Disse ele voltando a olhar para a televisão que estava passando o último noticiário da madrugada.
 
  Fim do Flash back


- E Jamie, se eu  passar uma lista de alguns livros... Ele da um sorriso meio sem jeito.  –... você poderia ir na biblioteca publica pegá-los para mim?  Estou pesquisando sobre uma coisa. Ele olha para ela e respira fundo olhando para Jamie esperando por uma resposta.


avatar
Erick Horkheimer
Humano

Masculino Câncer Búfalo
Número de Mensagens : 18
Data de nascimento : 19/07/1997
Data de inscrição : 19/01/2014
Idade : 20
Localização : .
Emprego/lazer : .
Humor : .

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Humanos Humanos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Jamie Sinclair em Sab Fev 08, 2014 7:34 pm






Como se a mente de Jamie já não estivesse extremamente confusa, Erick ainda repetia aquelas palavras mais de uma vez... “Eu te amo.” Por tempos ela desejou em ouvir aquelas palavras, e ainda sim não sabia como reagir. Todo seu interior saltitava como se seus órgãos estivessem em uma infindável festa, sentia seu sangue pulsando em suas veias numa agitação como nunca estivera antes, assim como aquele frio no estômago. Aquela sensação de euforia parecia não cessar. As palavras lhe faltavam a boca, havia perdido a voz, e todos os outros sentidos por alguns segundos, sabia exatamente o que dizer e queria dizer cada palavra que por tempo havia guardado, mas também sabia que não precisava de muitas delas para expressar tudo aquilo. Mas deveria?

Tinha consciência de que uma vez que suas palavras estivessem ao vento, não poderia voltar atrás, mas por que continuar contendo suas palavras se ele já havia se expressado inteiramente? A resposta era clara em sua mente, sabia das consequências se aquele sentimento que ambos dividiam tomasse um caminho diferente do que esperavam, mas a pergunta era, estava ela pronta e disposta pra enfrenta-las agora que as cartas estavam sobre a mesa? Sempre achou que estaria, mas também duvidara que esse dia chegasse.

- E você, me ama? Uma pergunta cruel e desnecessária, todos os sinais haviam sido claros durante todos esses anos. Seu coração não havia tido espaço para mais ninguém, mesmo quando estava com Bruno, todo ele pertencia a Erick, e ainda sim, não sabia por que havia perdido tanto tempo com aquele inútil, não podia nem ao mesmo dizer que era uma distração para tirar sua mente do que sentia por Erick, pois nunca conseguiu tal façanha. Para ela era tudo tão óbvio, como se ela nunca tivesse ao menos tentado esconder.

Por que tinha que pensar tanto em uma coisa que poderia ser tão simples, mas acontece que nada relacionado á Erick era simples. – Jamie, pare de pensar e diga algo...Pensava ela com seus olhos fixos nos olhos dele. Seu corpo todo estremecia, e não era só pelo frio que fazia, tinha certeza que Erick podia sentir tendo seu corpo tão próximo ao dele. O beijo respondia todas as perguntas, mas ações apesar de dizerem muito mais que palavras, Erick sempre preferiu tem ambos e Jamie sabia muito bem que ele esperava pelas respostas. E mais uma vez aquelas palavras a fizeram perder os sentidos.

Eu te amo. Queria pedir um favor a vocêFica hoje aqui comigo?

Seu olhar agora parecia surpreso, momentos antes ele queria ficar sozinho e agora lhe pedia pra ficar. Foi inevitável esconder o sorriso, e aquele pedido acrescentava mais coisas em sua mente para ser debatido. Seus pensamentos lhe deixavam exausta, estava cansada de desculpas, confusão, indecisão, de se esconder, e todo o resto. Ela fechou os olhos por alguns segundos e respirou fundo, queria tudo aquilo fora de sua mente, não precisava mais, queria simplicidade e clareza naquele momento, decidiu que lidaria com as consequências um dia de cada vez quando elas finalmente lhe batessem na cara para anunciar sua chegada, mas naquele instante faria o que achava que deveria fazer, o que queria fazer. Jamie então abriu os olhos para mirar Erick.

- Eu te odeio sabia? Começou ela com uma voz suave mas soando como uma brincadeira. – Primeiro você me faz acreditar que quer se livrar de mim, depois diz que me ama e me pede pra ficar mas... Ela faz um breve pausa, mas sem dar chance de ele dizer nada.  - ...sim, eu tamb...eu te amo. – Jamie abriu um sorriso meio constrangido e meio sem jeito, ela olha rapidamente para baixo e retorna seu olhar para Erick, mesmo tendo tais sentimentos por Erick, ainda era estranho dizer essa palavras para quem havia sido seu melhor amigo durante tanto tempo. – E se você quer que eu fique.... Mais uma pausa para respirar fundo. - ... eu fico. Só não sei se vou sobreviver a pão e água quando meu pai e Aidan me colocarem numa jaula, mas vou deixar pra me preocupar com isso depois. Ela sorriu descontraindo um pouco.


- E Jamie, se eu passar uma lista de alguns livros, você poderia ir á biblioteca publica pegá-los para mim?
Ela o encarou fazendo uma careta, fechando um dos olhos como se estivesse pensativa. – Depende, isso vai lhe custar muito caro, teremos que fazer um acordo escrito e assinado, se você concordar com os termos eu faço tal favor, do contrário isso não será possível. Diz ela fazendo uma encenação com um sorriso maroto nos lábios.
avatar
Jamie Sinclair
Humano

Feminino Câncer Porco
Número de Mensagens : 8
Data de nascimento : 16/07/1995
Data de inscrição : 18/01/2014
Idade : 22
Localização : Perdida...
Emprego/lazer : Ali ó...
Humor : muito bem obrigada =)

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Morto(a) Morto(a)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Erick Horkheimer em Qua Fev 12, 2014 11:38 pm

Flash Back – Conhecendo o Conselheiro.
 
- Erick só tem 15 anos. Disse um dos anciões descordando da opinião do irmão mais velho. – Sim ele tem 15 anos, mas ele já esta pronto para o ritual. Disse o líder dos anciões que era o Avô de Erick. – Você está quebrando a tradição, ele não tem 17 anos.
 
- O Conselho decidiu que ele irá passar pelo o ritual, irmão. O líder aumentou seu tom de voz e fritou o ancião com os olhos. – Temos seis votos contra um, está na tradição que os anciões junto com os conselheiros podem invocar o ritual quando a criança estiver pronta. O ancião baixou a cabeça engolindo a seco sentando em sua cadeira. Ele puxa o copo de água e bebe como se a água rasgasse sua garganta. – Então mande o entra.
 
Erick entra no salão de reuniões do conselho suando frio e cabisbaixo. Muitas coisas passavam em sua mente, ele caminhava até seu brasão que estava desenhado no chão. Seu coração batia acelerado a sua mão suava frio enquanto segurava firme a espada curta em sua mão esquerda.
 
A grande porta se fecha e logo depois as cortinas das janelas. Se passaram três horas e a grande porta se abre novamente, Erick parecia estranho e alegre ao mesmo tempo. Ao sair do salão, ele sente uma mão segurar seu ombro então se virou para descobrir quem era, era seu Avô. – Vamos Erick depois dos juramentos á família e á seu brasão... O Avô deu um sorriso de orgulho e prosseguiu encarando Erick que estava paralisado com o que tinha jurado. – ...você deve conhecer seu conselheiro.    
 
Erick apenas seguiu seu avô até o jardim da mansão, perto de uma macieira tinha um banco de pedra, Erick olhou para o primo que estava sentado. – É esse?  Disse o Erick sussurrando. O velho deu uma risada. – Não. Respondeu brevemente e continuou sua caminhada pelo jardim até chegar ao carro esportivo estacionado. O Velho bateu com os dedos no vidro. – Francois. Disse o velho chamando o garoto que estava alimentando seus desejos sexuais dentro do carro.
 
Erick ficou rindo da situação do primo, que não demorou muito para sair do carro pelo menos com a sua calça. – Sim Ancião. O velho olha sério para o rapaz e depois vira olhando para o Erick dando um sorriso simpático. – Erick, esse aqui é o seu conselheiro.
 
Erick dá um olhar de desaprovação para o velho e depois olha para seu primo. – Não tinha algo melhor não. Automaticamente Erick sente um murro em seu rosto. - Ei moleque, não sou como os outros conselheiros que baixa a cabeça para o primeiro brasão só porque o seus tem mais poder e venceu todas as guerras da família. Erick escutava tudo aquilo ainda no chão. Ele se levanta apoiando a sua mão no chão, ao se por de pé ele ri encarando o primo. – É você deu um bom murro. Erick vê uma brecha e acerta um murro no nariz de seu primo, o murro havia quebrado o nariz de seu primo que agora sangrava enquanto Erick ria debochadamente.
 
O rapaz coloca a mão no nariz. – Seu filho da puta, olha o meu nariz. Erick ficou olhando para ele. – Ta mais bonito assim. Disse Erick ainda rindo.
 
O Avô do Erick deu uma risada da situação. – Vejo que vocês vão se dar muito bem, devo voltar  para a festa, Francois ele é todo seu. Disse o ancião se despedindo enquanto ria e sumindo dentre as árvores.  
 
- Vamos para a cozinha tenho que coloca gelo no meu nariz. Disse o rapaz caminhando voltando para a mansão. Erick da uma risada e segue seu primo, parando no meio do caminho e pergunta. – E a empregada com quem você estava no carro? O primo olha para Erick com uma expressão de medo e sussurra. – Não era a empregada, era a nossa prima do terceiro brasão, mas fica entre nos. Ele da uma piscadela para Erick e continua caminhando. 
                
Erick fica em silêncio e acompanha seu primo até a cozinha. Francois faz uma compressa de gelo e coloca duas tiras de papel toalha em cada orifício encarando Erick em seguida. – O que você faz?
 
- Sou estudante. Disse Erick pegando impulso para se senta no balcão da cozinha. – E você? Ele encara Francois com um sorriso debochado.Com uma expressão seria o primo responde. – Meu pai é “Empresário”. Disse ele fazendo um sinal com a mão. – Ele trabalha no submundo para a família e é amigo íntimo dos chefões da máfia. Ele da uma pausa. – As mais importantes são a máfia Italiana, Russa e Japonesa. Ele tira o papel do nariz. - Eu ajudo ele na área de informações e queima de arquivos. Disse ele com naturalidade. – Bom, eu tenho um conselheiro mafioso. Disse Erick rindo.        
 
 
Fim do Flash back
 

  - Eu te odeio sabia? Erick reage dando uma risada, mas fica em silêncio olhado nos olhos de Jamie.  – Primeiro você me faz acreditar que quer se livrar de mim, depois diz que me ama e me pede pra ficar, mas. Ele apenas da uma risada em seus pensamentos.  – Ela ainda não entendeu.
 
- ...sim, eu tamb...eu te amo. Ele parou de sorrir por um momento franzindo a testa e se perguntando - Por que ela hesitou por um momento para dizer que me amava, será que sente algo por aquele verme do Bruno, não deve ser isso... Tem que ser outra coisa. Ele da uma risada do comportamento da Jamie e do seu sorriso meio sem jeito.  - E se você quer que eu fique.  Ele olha para ela. – Sim...
 
... Eu fico. Só não sei se vou sobreviver a pão e água quando meu pai e Aidan me colocarem numa jaula, mas vou deixar pra me preocupar com isso depois. Erick abraça Jamie bem forte. – Obrigado. Ele se distancia um pouco dela. – Seu pai não sei, mais o seu irmão com certeza vai te trancar numa torre. Ele da uma risada. – Mas pode deixar,  eu tenho dragões.
 
-Depende, isso vai lhe custar muito caro, teremos que fazer um acordo escrito e assinado, se você concordar com os termos eu faço tal favor, do contrário isso não será possível.Ele da uma gargalhada. – Acho que tenho que chamar meu advogado.Ele olha sério para ela. – Está ficando tarde, vamos para o Chalé.  Disse ele segurando a mão dela e eles caminharam até o chalé.

Chegando ao chalé ele abre a porta e os dois entram juntos. Erick fecha a porta e se vira para Jamie. – Agora fala, qual é o seu acordo. Ele dá uma piscadela. – Bruxinha. Brinca ele caminhando até o sofá onde se senta e liga a televisão. – Vem senta aqui comigo, Ta passando aquele seriado de vampiros.Diz ele tirando a almofada para ela se sentar.

avatar
Erick Horkheimer
Humano

Masculino Câncer Búfalo
Número de Mensagens : 18
Data de nascimento : 19/07/1997
Data de inscrição : 19/01/2014
Idade : 20
Localização : .
Emprego/lazer : .
Humor : .

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Humanos Humanos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Jamie Sinclair em Sex Fev 21, 2014 9:55 am


Jamie respirou fundo, tomava o ar fortemente enchendo seus pulmões e soltando o ar lentamente contemplando a visão das montanhas ao longe e o bater das águas no pé da montanha enquanto caminhavam até o chalé. Ela abaixa a cabeça olhando para os próprios  pés enquanto caminhava e desenha um sorriso no lábios pensando nas coisas que Erick havia dito e em todos momentos que passaram juntos, ou seja, praticamente a vida toda já que se conheciam desde criança.  

Então se deu conta de que aquele sentimento sempre esteve presente, e não era somente da parte dela, talvez ela não tivesse visto antes por achar que era coisa de sua cabeça devido a seus próprios sentimentos e também porque Erick sempre foi seu amigo protetor. Mas o sentimento só ficou claro depois da festa, ainda sim Jamie estava com medo do que aconteceria, não que ela não estivesse naquele momento, mas ele não havia se segurado, então por que ela se seguraria? 
Os dois caminharam calados até o chalé. Assim que entrou no local sentiu seu celular vibrar dentro do bolso de seu casaco. Respirou fundo, mas decidiu não checar quem estava ligando, pois ela já sabia quem poderia ser. Mas ao mesmo tempo, se ela não atendesse seria muito pior explicar seu sumiço mais uma vez.  Ela então tira o celular do bolso fazendo um gesto para Erick de que atenderia a chamada, para ele não falasse nada naquele momento. Era seu irmão querendo saber onde havia se enfiado. Sabia que mesmo que dissesse que passaria a noite na casa de uma amiga se pai descobriria mais cedo ou mais tarde, mas deu a desculpa mesmo assim.  

Esperou até que Aidan terminasse todo o discurso de irmão protetor e de quanto o pai deles não ficaria feliz de ela quebrar as regras do castigo. Jamie sabia que apesar de ser policial, seu pai tinha um coração mole quando se tratava de Jamie, assim seu irmão que sempre a protegia, até mesmo dos castigos de seu pai. Ela então desligou o celular dando um sorriso para Erick.  

- Agora fala, qual é o seu acordo. Ela olha para Erick fazendo uma careta e sorri.
- Está pronto para as minhas exigências? 

Bruxinha. Diz ele caminhando em direção ao sofá, carregando o sorriso ela colocar seu casaco sobre a cadeira e o segue até a sala onde ele liga a televisão. Vem, senta aqui comigo, ta passando aquele seriado de vampiros. 

Jamie senta ao lado de Erick no sofá roubando o controle de sua mão e tirando o som da tv escondendo o controle ás suas costas. - Ok...aqui vai a primeira. Você terá que jurar que nunca mais vai tentar se livrar de mim não importa o que conteça. Segundo...segundo...- Ela dá uma pausa com uma expressão pensativa olhando para cima. -Hum...acho que só a primeira já está bom. O que você me diz, aceita o acordo ou não? Acredito que você nem va precisar de seu advogado pra me dar uma resposta. Não que você tenha muitas opções de escolha como resposta, SIM e SIM são suas únicas opções.  

-Agora me diz, pra que você quer esses livros? O que você anda estudando de tão interessante? Algum estudo pra sua nonna, ou é algo que você está estudando por você mesmo? 
avatar
Jamie Sinclair
Humano

Feminino Câncer Porco
Número de Mensagens : 8
Data de nascimento : 16/07/1995
Data de inscrição : 18/01/2014
Idade : 22
Localização : Perdida...
Emprego/lazer : Ali ó...
Humor : muito bem obrigada =)

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Morto(a) Morto(a)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Erick Horkheimer em Ter Mar 18, 2014 5:11 am

Assim que a Jamie tira o controle da sua mão ele fica encarando ela, pensativo sobre como as coisas estavam naquele momento e o que  aconteceria, ele não tinha total controle da sua situação mas sabia quais decisões deveria tomar. - Ok. Aqui vai a primeira. Você terá que jurar que nunca mais vai tentar se livrar de mim não importa o que aconteça. 


Segundo... Segundo... – Jaime dá uma pausa com uma expressão pensativa olhando para cima. -Hum... Acho que só a primeira já está bom. O que você me diz, aceita o acordo ou não? Acredito que você nem vá precisar de seu advogado pra me dar uma resposta. Não que você tenha muitas opções de escolha como resposta, SIM e SIM são suas únicas opções.  

Erick não tomava nenhuma decisão sem pensar em todos os detalhes pra tomar sempre a melhor medida para todas as situações. Seu mundo era diferente dos demais, era oculto, poucos entendiam, certas coisas mesmo que o machucasse, ele guardava pra si. Ele olha para Jamie, se aproxima lentamente e dá um beijo em seus lábios, um beijo suave exibindo um sorriso canto da boca em seguida e um beijo na testa da Jamie.

Ainda olhando para ela ele desce suas mão para os ombros dela – Já dei a resposta. e desliza vagarosamente chegando a linha de sua cintura com o mesmo sorriso no rosto, um pouco mais descontraído e pega o controle da mão dela.  – Peguei. Disse ele piscando para ela e rindo. 

Ele tira o mudo da televisão e se levanta do sofá. – Já volto. Caminha até o quarto abrindo a mochila que estava sobre a cama. Ele tira um grande livro com um símbolo tradicional da família dele. Encarando o livro por alguns segundos ele respira fundo e começa sua caminhada de volta para a sala lançando um olhar para Jamie. 

 – Sobre o estudo, estou estudando para mim mesmo. Disse ele se sentando perto da Jamie puxando a mesa de centro para perto do sofá colocando o livro sobre a mesa.  

Ele respira fundo mais uma vez escolhendo as palavras que usaria para contar a ela sobre o que estava estudando. Ele desvia o olhar do livro para os belos olhos dela. - Estou tento sonhos significativos. Ele da uma pausa pensativo, abre um sorriso e volta a falar. – Em um dos sonhos parece que sou um lobo filhote e de repente caçadores atacaram matilha... -Ele se arrepia todo  e sente um frio na espinha. – ...o filhote corre para a floresta com medo dos tiros e encontra um homem, ou uma sombra com olhos vermelhos que abraça o filhote, sorri olhando para o filhote,  mas ainda não consegui descobrir quem sou eu...- Ele da uma pausa e respira fundo. – ...se sou o homem da sombra ou o filhote assustado e selvagem

Ainda olhando nos olhos dela ele continua. – Por isso eu roubei esse livro da biblioteca da minha anciã, pertence a um dos meus ancestrais. Erick abre o livro e da uma risada. – O livro está cheio de simbologia, textos ocultos e um seguimento de palavras complemente distorcidas.  

- Por isso preciso de alguns livros da biblioteca, para me ajuda a decifrar esse livro. Ele da uma risada e tira a folha que estava marcando uma página do livro. – Aqui está a lista dos livros que preciso, são 15 livros no total. O Fernando já conversou com a atendente da biblioteca é só entregar a lista e ela saberá quais livros lhe entregar.  

Ele passa a mão no cabelo dela o colocando para traz da orelha. – Está pronta para mais uma aventura comigo meu amor?

avatar
Erick Horkheimer
Humano

Masculino Câncer Búfalo
Número de Mensagens : 18
Data de nascimento : 19/07/1997
Data de inscrição : 19/01/2014
Idade : 20
Localização : .
Emprego/lazer : .
Humor : .

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Humanos Humanos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Jamie Sinclair em Ter Mar 25, 2014 9:41 pm




Jamie ainda sentia como se seus pés não tocasse o chão. Nunca pensou que o que sentia por Erick pudesse ser ainda mais forte do que já era, mas ela sem duvidas havia se enganado. Assim que recebeu o leve beijo em seus lábios, pôde sentir seu coração acelerar e mil borboletas tomaram conta de seu estômago mais uma vez. 


No momento que ele deixou a sala, ela caminhou até onde havia deixado seu casaco e pegou seu celular do bolso do mesmo, não ficaria surpresa em ver ligações de seu pai, mas dez ligações era completamente for a do normal. Ela respirou fundo olhando para o visor do celular por alguns segundos, e quando ouviu que Erick estava voltando para sala, colocou o celular no bolso da calça e voltou a sentar-se no sofá. Erick retorna com um livro, o qual deposita sobre a mesa de centro a trazendo para perto. Em seguida ele começa a lhe contar sobre o sonho que havia tido. 


Ela apenas ouviu calada tentando em sua mente interpretar o sonho de Erick, mas claro sem sucesso, de fato ela não era muito boa nesses assuntos. Se nem ele mesmo havia conseguido interpretá-lo, seria muita presunção de sua parte achar que conseguiria. Ela apenas o encarou com um olhar confuso expressando sua total falta de palavras ou qualquer suposição sobre o assunto. Na verdade, ela não tinha colocado muito esforço em sua tentativa, estava mesmo preocupada com a quantidade de ligações feitas por seu pai. Por mais que ele tivesse a proibido de ficar for a de casa depois de certas hora, não era da natureza de seu pai ficar ligando, ainda mais depois de ela ter avisado Aidan de que estava tudo bem. 


Olhava agora a lista de livros que Erick havia feito para que ela pegasse na biblioteca no dia seguinte, ouvindo muito pouco do que Erick dizia, mas sem dúvida ouviu suas últimas paralvras.  

– Está pronta para mais uma aventura comigo meu amor? 

Ela abre um largo sorriso olhando para ele. - Parece que minha noite está cheia de aventuras. Ela dá uma pausa respirando fundo. - Claro que estou, aventura é meu segundo nome. Brincou ela colocando a lista de livros sobre a mesinha se ajeitando no sofá.  

-E então, onde está a pipoca e o chocolate quente? Perguntou ela descontraidamente. Sentiu seu celular vibrar no bolso da calça fazendo com que seu sorriso se esvaisse dando lugar a uma expressão preocupada assim que olhou para o visor do celular. 

-Erick...acho que eu deveria ir para casa, algo está errado, meu pai já me ligou mais de dez vezes e isso não é típico dele e quem está ficando preocupada sou eu. Espero que não se importe. -Ela o encarou com um olhar triste. - Prometo voltar amanhã com os livros que pediu para que possamos desvendar os mistérios do seu sonho. Sorriu fazendo uma voz de suspense enquanto falava. Seu celular começa a vibrar mais uma vez. 

-Desculpa, eu realmente preciso ir. Diz ela com um olhar entristecido pegando a lista de livros da mesa de centro e colocando no bolso da calça. Caminhou até a entrada do chalé e vestiu seu casaco se voltando para Erick. 

-Te vejo amanhã, se cuida....Te amo. Disse ela depositando um beijo em seus lábios. Em seguida abriu a porta do chalé. Antes que fechasse a porta á suas costas Jamie se vira abrindo a porta mais uma vez. -Erick...eu aceito. Um sorriso se extende em seu rosto enquanto ela mantem seu olhar voltado para ele por um breve momento, ele saberia do que ela estava falando, não precisava refrescar a memória dele. Então ela se despede fechando a porta e caminhando eu direção ao seu carro.
avatar
Jamie Sinclair
Humano

Feminino Câncer Porco
Número de Mensagens : 8
Data de nascimento : 16/07/1995
Data de inscrição : 18/01/2014
Idade : 22
Localização : Perdida...
Emprego/lazer : Ali ó...
Humor : muito bem obrigada =)

RPG
Geração: Humano Humano
Clã: Morto(a) Morto(a)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Labinar em Qua Mar 26, 2014 12:10 pm

Antes de meu post:
Rolagem de Furtividade
----------------------
Furtividade + Destreza => 13 dados - Dificuldade 6
Rolando:

_________________
Sentidos Aguçados, Ambidestro, Tolerância a dor, Vontade de Ferro, Resistência à Magia =|= Vicío,Mudo, Presas Permanentes, Fetiche de Poder, Predador Óbvio
avatar
Labinar
Assamitas

Masculino Câncer Número de Mensagens : 7
Data de nascimento : 28/06/1655
Data de inscrição : 24/06/2012
Idade : 362
Localização : Vancouver
Emprego/lazer : Morte
Humor : Mortífero

RPG
Geração: Ancião Ancião
Clã: Assamitas Assamitas

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Mestre do Jogo em Qua Mar 26, 2014 12:10 pm

O membro 'Labinar' realizou a seguinte ação: Rolar Dados

'Dados' :

Resultado : 7, 6, 9, 3, 8, 10, 8, 9, 2, 2, 2, 7, 6

_________________
Bem-vindos aos Jogos!!!
avatar
Mestre do Jogo
Administrador

Masculino Câncer Macaco
Número de Mensagens : 230
Data de nascimento : 28/06/1980
Data de inscrição : 07/06/2012
Idade : 37
Localização : À procura de jogadores
Emprego/lazer : Mestre de Jogos
Humor : O melhor possível

RPG
Geração: Antediluviano Antediluviano
Clã: Administradores Administradores

Ver perfil do usuário http://vampiro.forumeiro.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Labinar em Qua Mar 26, 2014 12:10 pm

Especialização

_________________
Sentidos Aguçados, Ambidestro, Tolerância a dor, Vontade de Ferro, Resistência à Magia =|= Vicío,Mudo, Presas Permanentes, Fetiche de Poder, Predador Óbvio
avatar
Labinar
Assamitas

Masculino Câncer Número de Mensagens : 7
Data de nascimento : 28/06/1655
Data de inscrição : 24/06/2012
Idade : 362
Localização : Vancouver
Emprego/lazer : Morte
Humor : Mortífero

RPG
Geração: Ancião Ancião
Clã: Assamitas Assamitas

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Mestre do Jogo em Qua Mar 26, 2014 12:10 pm

O membro 'Labinar' realizou a seguinte ação: Rolar Dados

'Dados' :

Resultado : 10

_________________
Bem-vindos aos Jogos!!!
avatar
Mestre do Jogo
Administrador

Masculino Câncer Macaco
Número de Mensagens : 230
Data de nascimento : 28/06/1980
Data de inscrição : 07/06/2012
Idade : 37
Localização : À procura de jogadores
Emprego/lazer : Mestre de Jogos
Humor : O melhor possível

RPG
Geração: Antediluviano Antediluviano
Clã: Administradores Administradores

Ver perfil do usuário http://vampiro.forumeiro.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Labinar em Qua Mar 26, 2014 1:28 pm

Nenhum ser humano deveria percorrer os mesmos caminhos de um filho de Haqim. Nenhum deles pode estar na frente de seres tão superiores como eu sou. Isso é algo que precede sua morte. Não somente gado, mas também os seres mais inferiores, neófitos, ancillaes, garous filhotes e toda a ralé que existe nesse mundo impuro. A morte é inevitável, e tentar correr dela é algo que não é da nossa capacidade, muito menos de nossa compreensão. Deve saber que a morte existe muito antes da vida humana no planeta. É algo belo, divino. E eu não posso ir contra, portanto prefiro trabalhar para ela. Ajudo o mundo a ser limpo matando aqueles que julgo estarem no momento para sua morte.

A minha fome está saciada, estou pronto para começar mais uma noite de limpeza em Vancouver. Não carrego celular nem nada do tipo. Aqueles que precisam encontrar-me simplesmente sabem como fazer para ter sucesso. O resto não importa nem um pouco para mim.

As Montanhas Azuis tem sido alvo de inúmeras investidas humanas para refúgio, descanso, caçadas e até mesmo para matar uns aos outros. Percebi há algum tempo uma movimentação diferente no local. Uma espécie de hotel que há muito tempo não tinha nenhum visitante estava recebendo mais alguém. Sem pensar muito vou averiguar de longe esperando o momento oportuno pra eliminar mais um ser que não é interessante no mundo em que estamos vivendo.

Passam-se alguns minutos até que uma jovem sai da cabana. O que ela desejava saindo naquela hora da noite sem nada em suas mãos? Essa pergunta é fácil de ser respondida, ela desejava a morte e a teria por meio de minhas lâminas.

Com uma de minhas facas nas mãos eu ativo Quietus em sua mais básica função que me concede um silêncio total no raio de seis metros durante uma hora. Nada é ouvido, nada é dito. Simples silêncio em gritos sem som e o pânico nos olhos de quem morre.

Movimento-me furtivamente, parecia estar flutuando de tão quieto que caminhava, chegar pelas costas da mulher era algo fácil demais para um Ancião. Aproximo-me da mulher que em hora como essas já não ouvia nem mesmo sua respiração. Se pudesse sentir o coração batendo, certamente estaria em uma taquicardia fora do comum.

Do lado de dentro da cabana deveria estar o homem, namorado certamente pois antes de sair ela volta a abrir a porta, sorri e fala algo. Certamente estava dando seu último adeus. Ao viúvo deixo claro que se for de desejo dele, ele pode ser morto também, não há problemas nisso.
Caminho com certa calma atrás da mulher, eram os seus últimos instantes e eu não perderia mais meu tempo.

Meu braço direito é preparado, o tronco se move para trás e então para frente em uma velocidade e força que humano nenhum conseguiria reproduzir. Se tudo fosse como desejado, a faca entraria em suas costas, cortando a pele, uma camada de músculos, passaria uma camada de gordura, furaria o pulmão. Talvez até mesmo mais que isso. O vitae se espalharia pelo furo e de sua boca sairia também em uma tosse vermelha, o sopro de sangue mortal, últimas respirações e por fim a morte.

Linda como sempre, tenebrosa como nunca. Infelizmente em um fato como esse, certamente o rapaz seria o primeiro a ser procurado pelo assassinato da ex-namorada... Bem, é a vida. Ou melhor, a morte.

_________________
Sentidos Aguçados, Ambidestro, Tolerância a dor, Vontade de Ferro, Resistência à Magia =|= Vicío,Mudo, Presas Permanentes, Fetiche de Poder, Predador Óbvio
avatar
Labinar
Assamitas

Masculino Câncer Número de Mensagens : 7
Data de nascimento : 28/06/1655
Data de inscrição : 24/06/2012
Idade : 362
Localização : Vancouver
Emprego/lazer : Morte
Humor : Mortífero

RPG
Geração: Ancião Ancião
Clã: Assamitas Assamitas

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Vancouver em Qua Mar 26, 2014 2:02 pm

Lanibar está desferindo um ataque pela retaguarda (por conta de sua jogada em furtividade é impossível um ser humano perceber sua chegada), para isso deve rolar:

Destreza + Armas Brancas + 2 = 18 dados
Dificuldade = 6

FDV - 1 ponto utilizado.
avatar
Vancouver
Administrador

Masculino Câncer Macaco
Número de Mensagens : 215
Data de nascimento : 28/06/1980
Data de inscrição : 26/10/2012
Idade : 37
Localização : Vancouver
Emprego/lazer : Juiz
Humor : De acordo com os dados

RPG
Geração: Antediluviano Antediluviano
Clã: Administradores Administradores

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Labinar em Qua Mar 26, 2014 2:03 pm

Rolagem de ataque

_________________
Sentidos Aguçados, Ambidestro, Tolerância a dor, Vontade de Ferro, Resistência à Magia =|= Vicío,Mudo, Presas Permanentes, Fetiche de Poder, Predador Óbvio
avatar
Labinar
Assamitas

Masculino Câncer Número de Mensagens : 7
Data de nascimento : 28/06/1655
Data de inscrição : 24/06/2012
Idade : 362
Localização : Vancouver
Emprego/lazer : Morte
Humor : Mortífero

RPG
Geração: Ancião Ancião
Clã: Assamitas Assamitas

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Mestre do Jogo em Qua Mar 26, 2014 2:03 pm

O membro 'Labinar' realizou a seguinte ação: Rolar Dados

#1 'Dados' :

#1 Resultado : 6, 5, 5, 5, 2, 3, 5, 10, 5, 8, 3, 8, 9, 3, 6, 5, 8, 2

--------------------------------

#2 'Dados' :

#2 Resultado : 8

_________________
Bem-vindos aos Jogos!!!
avatar
Mestre do Jogo
Administrador

Masculino Câncer Macaco
Número de Mensagens : 230
Data de nascimento : 28/06/1980
Data de inscrição : 07/06/2012
Idade : 37
Localização : À procura de jogadores
Emprego/lazer : Mestre de Jogos
Humor : O melhor possível

RPG
Geração: Antediluviano Antediluviano
Clã: Administradores Administradores

Ver perfil do usuário http://vampiro.forumeiro.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Vancouver em Qua Mar 26, 2014 2:13 pm

Um ataque furtivo, pela retaguarda e sem chance de reação. Esse é o cenário em que Jamie Reid se encontra.

------
Furtividade + Destreza = Resultado do teste foi maior que o máximo possível que Jamie conseguiria.
Ataque pela Retaguarda = Com dois dados a mais no ataque, Labinar conseguiu (juntamente a especialização, dados #2, resultam em) 8 sucessos. 

Rolagem de dano:
8 + (7+1) = 16 dados
Dificuldade = 6
avatar
Vancouver
Administrador

Masculino Câncer Macaco
Número de Mensagens : 215
Data de nascimento : 28/06/1980
Data de inscrição : 26/10/2012
Idade : 37
Localização : Vancouver
Emprego/lazer : Juiz
Humor : De acordo com os dados

RPG
Geração: Antediluviano Antediluviano
Clã: Administradores Administradores

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Labinar em Qua Mar 26, 2014 2:14 pm

Rolando dano

_________________
Sentidos Aguçados, Ambidestro, Tolerância a dor, Vontade de Ferro, Resistência à Magia =|= Vicío,Mudo, Presas Permanentes, Fetiche de Poder, Predador Óbvio
avatar
Labinar
Assamitas

Masculino Câncer Número de Mensagens : 7
Data de nascimento : 28/06/1655
Data de inscrição : 24/06/2012
Idade : 362
Localização : Vancouver
Emprego/lazer : Morte
Humor : Mortífero

RPG
Geração: Ancião Ancião
Clã: Assamitas Assamitas

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Mestre do Jogo em Qua Mar 26, 2014 2:14 pm

O membro 'Labinar' realizou a seguinte ação: Rolar Dados

'Dados' :

Resultado : 8, 5, 8, 5, 1, 3, 1, 8, 9, 7, 6, 9, 6, 7, 10, 7

_________________
Bem-vindos aos Jogos!!!
avatar
Mestre do Jogo
Administrador

Masculino Câncer Macaco
Número de Mensagens : 230
Data de nascimento : 28/06/1980
Data de inscrição : 07/06/2012
Idade : 37
Localização : À procura de jogadores
Emprego/lazer : Mestre de Jogos
Humor : O melhor possível

RPG
Geração: Antediluviano Antediluviano
Clã: Administradores Administradores

Ver perfil do usuário http://vampiro.forumeiro.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Montanhas Azuis

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum